Temblante para blog







Pesquisar este blog:

IPRIMIR

Print Friendly and PDF

sábado, 11 de outubro de 2014

ATIVIDADES SOBRE PREDICADO VERBAL: verbo transitivo direto e indireto e verbo intransitivo / PREDICADO NOMINAL: verbo de ligação e predicativo do sujeito

Predicado verbal: Verbo transitivo (direto e indireto) e intransitivo

1.       Leia.

Os meus sonhos

Como era belo esse tempo
De tão doces ilusões,
De tardes belas, amenas,
De noites sempre serenas,
De estrelas vivas e puras;
Quadra de riso e de flores,
Em que eu sonhava venturas,
Em que eu cuidava de amores [...]

( Casimiro de Abreu)

Agora releia as orações do poema e faça o que se pede.

I.                    “[...] eu sonhava venturas”                                               II. “[...] eu cuidava de amores!”

a)       Sublinhe os verbos e separe o sujeito do predicado com uma barra.
b)       Nesses predicados verbais, temos:
(    ) verbo intransitivo                                                              (    ) verbo transitivo

c)        Circule o objeto que completa o sentido de cada um desses verbos.
d)       Que diferença você observa na forma de esses objetos se ligarem ao verbo transitivo?
e)       Copie o objeto que se liga ao verbo transitivo sem preposição.
f)        Copie o objeto que se liga ao verbo transitivo por meio de preposição.

2.               Faça a análise sintática dessas duas orações.

I.                    Oração com verbo transitivo direto

Sujeito simples:
Núcleo do sujeito:
Predicado verbal:
Verbo transitivo direto:
Objeto direto:
Núcleo do objeto direto:


II.                  Oração com verbo transitivo indireto

Sujeito simples:
Núcleo do sujeito:
Predicado verbal:
Verbo transitivo indireto:
Objeto indireto:
Núcleo do objeto indireto:
Conetivo – preposição:



3.       Leia o trecho de uma música “Comida”.
[...]
A gente não quer só comida,
A gente quer comida, diversão e arte.
A gente não quer só comida,
A gente quer saída pra qualquer parte.
[...]
Arnaldo Antunes

a)       Que verbo é empregado repetidas vezes na construção do texto?
b)       Esse verbo classifica-se como:
(    ) verbo transitivo direto.                                            (    ) verbo transitivo indireto.                         
c)        Nesse caso, o objeto é:
(    ) direto.                                                                          (    ) indireto.

d)       Copie o objeto que se repete.

4.       Na sua opinião, que efeito provoca o emprego repetido do verbo e do objeto na letra da música?

5.       Analise os verbos destacados empregados em cada oração, de acordo com a predicação. Use VTD para verbo transitivo direto∕ VTI para verbo transitivo indireto∕ VI para verbo intransitivo.
a)       Todas nós queremos uma vida digna. (          )
b)       A mãe queria muito bem aos filhos. (          )
c)        Os funcionários queriam aumento de salário. (          )
d)       Esta professora ensina muito bem. (          )
e)       Ela já ensinou tudo. (          )
f)        O gato virou todo o lixo. (          )
g)       A canoa virou.(          )
h)       Marcos aspirava todo o pó do carpete.  (          )
i)         Marcos aspirava a um alto cargo. (          )

Predicado Nominal

O MOSQUITO

O mundo é tão esquisito:
Tem mosquito.

Por que, mosquito, por que
Eu... e você?

Você é o inseto
Mais indiscreto
Da Criação
Tocando fino
Seu violino
Na escuridão.
Tudo de mau
Você reúne
Mosquito pau
Que morde e zune.

Você gostaria
De passar o dia
Numa serraria —
Gostaria?

Pois você parece uma serraria!

Vinicius de Moraes

6.       Agora retire do texto verbos de ligação.

7.       Faça a análise sintática dessas duas orações.

I.                     “O mundo é tão esquisito”

Sujeito simples:
Núcleo do sujeito:
Predicado nominal:
Verbo de ligação:
Predicativo do sujeito:
Núcleo do predicativo:


II.                  “Você é o inseto
Mas indiscreto”

Sujeito simples:
Núcleo do sujeito:
Predicado nominal:
Verbo de ligação:
Predicativo do sujeito:
Núcleo do predicativo:


III.                       “... você parece uma serraria!”

Sujeito simples:
Núcleo do sujeito:
Predicado nominal:
Verbo de ligação:
Predicativo do sujeito:
Núcleo do predicativo:





8.       Coloque C nas afirmativas corretas e E nas erradas.
(     ) Em uma oração, sempre que houver verbo de ligação haverá predicativo do sujeito.
(     ) Se o verbo da oração for transitivo direto, o predicado será nominal.
(     ) Nunca haverá predicado nominal, se na oração houver um verbo intransitivo.
(     ) Quando o verbo da oração for intransitivo ou transitivo, o predicado será nominal.

9.       Leia;
No trânsito
Jogar pela janela papéis de propaganda, papéis de balas, de sorvete etc., nem se fala! É coisa de subdesenvolvimento. Seu carro fica limpo e sua cidade fica imunda!
Revistinha Hipopó & Cia.
Indique o que se pede.
a)       “Seu carro fica limpo...”
verbo de ligação –
predicativo do sujeito –

b)       “... sua cidade fica imunda!”
verbo de ligação –
predicativo do sujeito - 
10.   Leia as estrofes do poema.

O cavalinho branco

À tarde, o cavalinho branco
está muito cansado:
mas há um pedacinho do campo
onde é sempre feriado. [...]
Cecília Meireles

Agora passe a oração “Á tarde, o cavalinho branco está muito cansado” para a ordem direta.

11.   Responda.
a)       Qual é o sujeito da oração?
b)       Qual é o predicado?
c)        Qual a palavra do predicado que indica uma característica, uma qualidade do sujeito?
d)       Essa palavra é:
(    ) pronome.                     (    ) substantivo                  (    ) adjetivo                         (    ) verbo.           
e)       A palavra cansado é: _______________________________________________________.

12.   Observe a oração a seguir. “À tarde, o cavalinho branco está muito cansado:”
a)       Qual é o verbo?
b)       Esse verbo indica ação ou apenas liga o predicativo ao sujeito?

13.   Reescreva a oração “[...] o cavalinho branco está muito cansado”, retirando dela o verbo.

a)       O sentido mudou ou permaneceu o mesmo?
b)       No predicativo do sujeito, a importância do significado recai:
(    ) no verbo.                                                     (    ) no predicativo do sujeito – cansado.

14.   Leia agora outra oração com predicado nominal.

O cavalinho parece cansado.

a)       Qual é o predicado nominal?
b)       Qual é o predicativo do sujeito?

15.   Na mesma oração, O cavalinho parece cansado, qual é o verbo do predicado?

a)       Esse verbo indica:
(    ) ação.                                                             (    ) estado.                          (    ) fenômeno da natureza.

b)       Esse verbo apenas liga o predicativo ao sujeito. Portanto, também é um verbo:
(    ) transitivo                                                      (    ) intransitivo                   (    ) de ligação.

16.   Leia.

Motivo

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem triste:
sou poeta. [...]

Cecília Meireles

Agora sublinhe o predicativo do sujeito em cada oração.

a)       “Não sou alegre [...]”
b)       “Sou poeta.”
c)        O motivo parece outro!
d)       A menina está com febre.
e)       Nós somos três.

17.   Dê a classe gramatical das palavras que você sublinhou no exercício anterior.
18.   Leia a estrofe do poema.
Os músicos
Na casa dos músicos
as paredes são sonoras,
no teto moram acordes,
e nos vãos sustenidos se escondem. [...]

Roseana Murray
Releia a oração “Na casa dos músicos as paredes são sonoras”.
a)        Passe essa oração para a ordem direta.
b)       Separe essa oração em sujeito e predicado, classificando-os.
c)        Qual é o verbo de ligação e o predicativo do sujeito da oração?


Predicado verbal: Verbo transitivo (direto e indireto) e intransitivo

19.   Sublinhe os verbos das orações abaixo e  escreva VI para verbo intransitivo e VT para verbo transitivo.

(    ) Quando você pagará o ingresso do baile?
(    ) Discutiremos esse assunto depois?
(    ) Você assistiu à novela das 9?
(    ) Eu sonho muito toda noite.
(    ) O garoto escreveu um poema para a namorada.

Agora copie os objetos dessas orações.

20.   Coloque, nos parênteses, VI para verbo intransitivo e VT para verbo transitivo.

a)       Neide viveu no Rio de Janeiro. (    )
Neide viveu uma grande aventura.  (    )

b)       Fernanda sonha durante a noite toda. (    )
Fernanda sonha com viagens longas. (    )

c)        A turminha pesca sempre no domingo. (    )

A turminha pescou lambaris no domingo. (    )                                            
recadosparablogseorkut.com

Origem da Mensagem: Recados para Blogs e Orkut










































sábado, 30 de agosto de 2014

O MELHOR AMIGO, DE FERNANDO SABINO

A mãe estava na sala, costurando. O menino abriu a porta da rua, meio ressabiado, arriscou um passo para dentro e mediu cautelosamente a distância. Como a mãe não se voltasse para vê-lo, deu uma corridinha na direção de seu quarto.

- Meu filho? – gritou ela.

- O que é? – respondeu, com ar mais natural que lhe foi possível.

- Que é que está carregando aí?

Como podia ter visto alguma coisa, se nem levantara a cabeça? Sentindo-se perdido, tentou ganhar tempo:

- Eu? Nada...

- Está sim. Você entrou carregando uma coisa.

Pronto: estava descoberto. Não adiantava negar, o jeito era procurar comovê-la. Veio caminhando desconsolado até a sala, mostrou à mãe o que estava carregando:

- Olha aí, mamãe: é um filhote...

Seus olhos súplices aguardavam a decisão.

- Um filhote? Onde é que você arranjou isso?

- Achei na rua. Tão bonitinho, não é, mamãe?

Sabia que não adiantava: ela já chamava o filhote de ISSO. Insistiu ainda:

- Deve estar com fome, olha a carinha que ele faz.

- Trate de levar embora esse cachorro agora mesmo!

- Ah! Mamãe... – já compondo cara de choro.

- Tem dez minutos para botar esse bicho na rua. Já disse que não quero animais aqui em casa. Tanta coisa para cuidar, Deus me livre de ainda inventar uma amolação dessas.

O menino tentou enxugar uma lágrima, não havia lágrima. Voltou para o quarto emburrado: a gente também não tem nenhum direito nessa casa – pensava. Um dia ainda faço um estrago louco. Meu único amigo, enxotado dessa maneira!

- Que diabo também, nessa casa tudo é proibido! – gritou lá do quarto, e ficou esperando a reação da mãe.

- Dez minutos! – repetiu ela, com firmeza.

- Todo mundo tem cachorro, só eu que não tenho.

- Você não é todo mundo.

- Também, de hoje em diante eu não estudo mais, não vou mais ao colégio, não faço mais nada.

- Veremos – limitou-se a mãe, de novo distraída com a costura.

- A senhora é ruim mesmo, não tem coração.

- Sua alma, sua palma.

Conhecia bem a mãe, sabia que não havia apelo: tinha dez minutos para brincar, com seu novo amigo, e depois... Ao fim de dez minutos, a voz da mãe, inexorável:

- Vamos, chega! Leva esse cachorro embora.

- Ah, mamãe deixa! – choramingou ainda.

- Meu melhor amigo, não tenho mais ninguém nessa vida...

- E eu? Que bobagem é essa, você não tem a sua mãe?

- Mãe e cachorro não é a mesma coisa.

- Deixa de conversa: obedece a sua mãe.

Ele saiu, e seus olhos prometiam vingança. A mãe chegou a se preocupar: meninos nessa idade, uma injustiça praticada e eles perdem a cabeça, um recalque, complexos, essa coisa toda...

Meia hora depois, o menino voltava da rua, radiante:

- Pronto, mamãe!

E lhe exibia uma nota de vinte e uma de dez: havia vendido seu melhor amigo por trinta dinheiros.

- Eu devia ter pedido cinqüenta, tenho certeza de que ele dava – murmurou pensativo.

 

Fonte: “A Vitória da Infância” - Fernando Sabino - Editora Ática

 

INTERPRETANTO O GÊNERO TEXTUAL CRÔNICA

 

1.Por que o menino pensou que a mãe não tinha visto o que ele carregava?

 

2.Copie do texto duas frases que o menino utilizou para emocionar sua mãe e assim convencê-la a ficar com o cachorrinho.

 

3.Quando o menino saiu de casa, sua mãe ficou preocupada por ter sido tão rigorosa e pensou que o fato de ter mandado o cachorro embora poderia trazer consequências mais graves, pois seu filho ficaria muito triste. Essas preocupações da mãe se confirmaram? Por quê?

 

4.Releia o título do texto:

 O melhor amigo

 
Agora responda à seguinte questão: O autor do texto escolheu esse título porque:

a. ( ) O cachorro é o melhor amigo do homem.

b. ( ) O menino era o melhor amigo do cachorro.

c. ( ) No final do texto percebe-se que o menino não era tão amigo assim do cachorro.

d. ( ) O menino tinha muitos amigos.

 

5. Releia o trecho:

 
“Como poderia ter visto alguma coisa, se nem levantara a cabeça?”

 
Essa pergunta foi feita pelo filho para:

 

a. ( ) A mãe.

b. ( ) O leitor.

c. ( ) Ele mesmo.

d. ( ) O cachorro.

 

6. Releia o trecho:

 
Pronto: estava descoberto. Não adiantava negar, o jeito era procurar comovê-la. Veio caminhando desconsolado até a sala, mostrou à mãe o que estava carregando:

 

a. O que a palavra grifada significa?

 

b. Quem o filho queria comover?

 

7. Releia o trecho:

 

- Também, de hoje em diante eu não estudo mais, não vou mais ao colégio, não faço mais nada.

- Veremos – limitou-se a mãe, de novo distraída com a costura.

- A senhora é ruim mesmo, não tem coração.

- Sua alma, sua palma.

 

A expressão grifada significa que:

 

a. ( ) A escolha é do filho, mas se ele teimar em tomar essa atitude terá que se responsabilizar pelas consequências.

b. ( ) Examinando sua palma podemos saber como é sua alma.

c. ( ) A mãe pouco se importa com as atitudes do filho.

d. ( ) O filho levaria umas palmadas.

 

8. Releia o trecho:

 

“E lhe exibia uma nota de vinte e uma de dez : havia vendido seu melhor amigo por trinta dinheiros” .

 

Para que servem os dois pontos ( : ) utilizados pelo autor do texto nesse trecho?

a. ( ) Para que o leitor descanse enquanto lê.

b. ( ) Para anunciar que, em seguida, algum personagem irá falar.

c. ( ) Para não ter que usar sempre a vírgula.

d. ( ) Para explicar ao leitor como o menino conseguira o dinheiro.

 









 













































































































Indique este blog a um amigo.