Temblante para blog







Pesquisar este blog:

IPRIMIR

Print Friendly and PDF

domingo, 31 de julho de 2011

PRODUÇÃO TEXTUAL - GÊNERO: CARTA

Produção de texto

Gênero textual: carta

1.    Definam o conteúdo da carta. Lembrem-se de que o objetivo é escrever ima carta ao autor da obra lida, fazendo perguntas ou reclamando contra o destino dado a uma personagem.
Para organizar o conteúdo da carta, respondam às questões.
a)    Qual o propósito da carta que escreverá para o autor do livro?
b)    O que esperam do destinatário da carta que você irá escrever?
c)    Qual o objetivo que pretende atingir com o envio da correspondência?
d)    Qual é a etapa desse trabalho?

2.  Considerando-se o destinatário e o propósito da carta, escreva a forma mais adequada para:

a)   A saudação inicial.

Ex. mo (Ex. ma) Senhor (a)...
Prezado (a) Senhor (a)...
Caro (a)...
Querido (a)...
Olá...
Oi...

b)  A despedida

Aguardando uma breve resposta, ...
Desde já agradecemos, ...
Atenciosamente, ...
Aguardando uma resposta, despedimo-nos com os nossos cumprimentos, ...
Agradecemos antecipadamente, ...
Cordialmente, ...
Mais uma vez obrigado e um grande abraço para você.
Do (a) seu (sua) amigo (a) ...
Um abraço, ...
Tchau! Tudo de bom!




3.    Escreva a carta. Veja algumas sugestões para iniciar e finalizar o assunto.

Para iniciar

Venho por meio desta perguntar...
Primeiramente, muito obrigado por sua atenção...
Dando continuidade à nossa conversa...

Para finalizar

Ainda gostaria de acrescentar/perguntar/reclamar/solicitar/pedir...
• Finalmente...
• Por fim...

4.  Releia a carta e avalie:

a)    Se está claro para o destinatário o que está sendo perguntado, reclamado.
b)    Se a linguagem, a saudação e a despedida estão adequadas à situação e ao destinatário.
c)    Se há alguma informação a acrescentar.

P.S. (post scriptum) – Expressão em latim que significa “depois de escrito”. É usada quando, depois da despedida e da assinatura, precisamos relatar ou comentar alguma coisa importante, um P.S..

Para enviar a carta

Por que usar o CEP?

CEP significa Código de Endereçamento Postal. E um conjunto numérico constituído de oito algarismos, cujo objetivo principal é orientar e acelerar o encaminhamento, o tratamento e a distribuição de correspondência.
O uso adequado do CEP é imprescindível para que os Correios possam tratar com rapidez os objetos que são confiados, garantido a entrega no endereço devido.

Recados
 

sexta-feira, 29 de julho de 2011

AS LUAS DE LUÍSA, DE DILÉIA FRATE

A terra tem uma lua, Saturno tem vinte, mas Luísa, temperamental, imprevisível, criativa, brincalhona, chorona, risonha, generosa, carente e absurda, tinha pelo menos umas trinta luas perto de si. Cada lua representava um estado de espírito diferente. A melhor lua iluminava as brincadeiras noturnas quando Luísa ficava acordada até tarde jogando, brincando, pulando na cama, vendo TV, fazendo maluquices e olhando pro céu. Era quando a mãe chegava e dizia: “Pare com isso, amanhã você tem que acordar cedo”. O que já era suficiente para despertar a pior das luas: a do mau humor. Nesse momento ela batia o pé, chorava, xingava, e a mãe dizia apenas: “Luísa, você é de lua!”. E fechava a janela. (...)

Diléa Frate

CONSTRUINDO O SENTIDO DO TEXTO

1 – Qual é o personagem principal da história?

2 – Como ela é?

3 – No texto, o que significa ter luas?

4 – Você acha que também tem tantas luas como Luísa?

5 – Há algumas combinações de palavras que tornam esse texto muito interessante. Responda em seu caderno:
a)    Qual a combinação de sons a autora explorou no título do texto?

b)    Que significado essa combinação pode ter?

6 – Releia em voz alta a primeira frase do texto, observando a pontuação. Que recurso na escrita garantiu o ritmo da sua leitura?

7 – Nessa primeira frase do texto, como a autora mostra as mudanças de lua de Luísa?

8 – Imagine que você estivesse escrevendo em seu diário uma frase como a que inicia o texto.
a)    Reescreva essa frase em seu caderno com as características que enumeraria sobre você. Não se esqueça de utilizar a vírgula para separar a sua enumeração: “A Terra tem uma lua, Saturno tem vinte, mas eu...

b)    Leia o que você escreveu para seus colegas e ouça o que eles escreveram: será divertido e interessante conhecer um pouco mais as características de cada um.



ESTUDOS GRAMATICAIS

9 – Observe a frase:
“A melhor lua iluminava as brincadeiras noturnas quando Luísa ficava acordada até tarde jogando, brincando, pulando na cama, vendo TV, fazendo maluquices e olhando pro céu.”
Faça uma lista com as palavras da frase que são nomes, isto é, que são substantivos.

10 – Entre os substantivos que você encontrou na questão anterior, escreva o/s que nomeia /nomeiam:

a)    Atitudes/ação;
b)    Objetos;
c)    Seres que você vê, embora não consiga tocar.

11 - Releia:
“A terra tem uma lua (...), mas Luísa (...) tinha pelo menos umas trinta luas perto de si.”
Nessa frase, o substantivo lua tem o mesmo significado nas duas vezes em que aparece? Explique.

12 – Considere o que você aprendeu sobre substantivo concreto e substantivo abstrato e vamos ver como o substantivo lua pode ser classificado no texto “As luas de Luísa”.
a)    Ao referir-se aos satélites de Saturno, o substantivo luas foi utilizado com sentido concreto ou abstrato?

b)    Ao referir-se às alterações de humor de Luísa, portanto a emoções e sentimentos, o termo luas é um substantivo concreto ou abstrato?

13 – Releia a primeira frase do texto “As luas de Luísa”:
“A terra tem uma lua, Saturno tem vinte, mas Luísa, temperamental, imprevisível, criativa, brincalhona, chorona, risonha, generosa, carente e absurda, tinha pelo menos umas trinta luas perto de si.”

Você já viu que, para mostrar as mudanças de estado de espírito de Luísa, a autora enumerou características da menina, muito diferentes umas das outras.
Das palavras usadas para caracterizar Luísa, quais podem indicar sentidos opostos?

14 – Transcreva em seu caderno três características de Luísa que aparecem quando ela está na melhor lua.

15 – Observe:

LUÍSA: criativa, temperamental, imprevisível, chorona, generosa, brincalhona, risonha, carente, absurda.

Responda: qual a importância das palavras que circundam o substantivo “Luísa” para o texto?


Recados






A CORUJA E A ÁGUIA, DE MONTEIRO LOBATO

Coruja e águia, depois de muita briga resolveram fazer as pazes.

– Basta de guerra — disse a coruja. – O mundo é grande, e tolice maior que o mundo é andarmos a comer os filhotes uma da outra.

– Perfeitamente — respondeu a águia. — Também eu não quero outra coisa.

– Nesse caso combinemos isso: de ora em diante não comerás nunca os meus filhotes.

– Muito bem. Mas como posso distinguir os teus filhotes?

– Coisa fácil. Sempre que encontrares uns borrachos lindos, bem feitinhos de corpo, alegres, cheios de uma graça especial, que não existe em filhote de nenhuma outra ave, já sabes, são os meus.

– Está feito! — concluiu a águia.


Dias depois, andando à caça, a águia encontrou um ninho com três monstrengos dentro, que piavam de bico muito aberto.


– Horríveis bichos! — disse ela. — Vê-se logo que não são os filhos da coruja.


E comeu-os.


Mas eram os filhos da coruja. Ao regressar à toca a triste mãe chorou amargamente o desastre e foi justar contas com a rainha das aves.


– Quê? — disse esta admirada. — Eram teus filhos aqueles monstrenguinhos? Pois, olha não se pareciam nada com o retrato que deles me fizeste…

Moral da história: Para retrato de filho ninguém acredite em pintor pai. Lá diz o ditado: quem o feio ama, bonito lhe parece.


Em: Fábulas, Monteiro Lobato, São Paulo, Brasiliense, s/d, 20ª edição.

CONSTRUINDO O SENTIDO DO TEXTO


01.       Quem são os personagens principais?
02.       Como você estudou, a fábula se divide em duas partes. Quais são elas?
03.       Como a coruja descreveu seus filhotes?
04.       Por que a águia não reconheceu os filhotes da coruja?
05.       Segundo a moral, há uma diferença no modo de as pessoas perceberem as outras. Explique.
06.       Segundo a moral da história, há uma diferença no modo de as pessoas perceberem as outras. Explique.
07.       Transcreva uma fala de cada personagem do texto:
Recadoseglitters.com


O LEÃO E O RATINHO

Ao sair do buraco viu-se um ratinho entre as patas do leão. Estacou, de pelos em pé, paralisado pelo terror. O leão, porém, não lhe fez mal nenhum. 
- Segue em paz, ratinho: não tenhas medo de teu rei. 
Dias depois o leão caiu numa rede. Urrou desesperadamente, debateu-se, mas quanto mais se agitava mais preso no laço ficava.  Atraído pelos urros, apareceu o ratinho.  - Amor com amor se paga - disse ele lá consigo e pôs-se a roer as cordas. Num instante conseguiu romper uma das malhas. E como a rede era das tais que rompida a primeira malha as outras se afrouxam, pôde o leão deslindar-se e fugir. 


Moral: Mais vale paciência pequenina do que arrancos de leão.


(LOBATO, Monteiro. Obra infantil completa. Volume "Fábulas". São Paulo: Brasiliense)

INTERPRETAÇÃO DO TEXTO

1. Quem é o autor deste texto e qual o nome do livro em que foi publicado?

2. Por que o ratinho ficou paralisado pelo terror?

3. O que aconteceu ao leão, dias depois de ele ter encontrado o ratinho?

4. Por que o ratinho resolveu ajudar o leão?

5. Quem são as personagens do texto?

6. Quem conta a história? O ratinho? O leão? Outro?

7. Toda fábula possui uma moral da história. Qual é a moral deste texto lido?

8. Você conhece todas as palavras do texto? Isto impediu você de entendê-lo?

9. Qual é a pontuação usada quando as personagens falam?

10. Substitua a palavra grifada na frase a seguir pelo nome do animal correspondente no texto:
Ele ficou paralisado pelo terror.

11. Dê outro título ao texto.

Recadoseglitters.com


A GALINHA DOS OVOS DE OURO

João Impaciente descobriu no quintal uma galinha que punha ovos de ouro. Mas um por semana, apenas. Louco de alegria, disse à mulher:
— Estamos ricos! Esta galinha traz um tesouro no ovário. Mato-a e fico o mandão aqui da vizinhança. Aproveito também e vou passear no Uruguai.
— Por que matá-la, se conservando-a você obtém um ovo de ouro de sete em sete dias?
— Não fosse eu João Impaciente! Quer que me satisfaça com um ovo por semana quando posso conseguir a ninhada inteira num momento?
E matou a galinha.
Dentro dela só havia tripas, como nas galinhas comuns, e João Impaciente, continuou na pobreza, morrendo sem vintém.
Quem não sabe esperar, pobre há de acabar.

Monteiro Lobato, Fábulas


INTERPRETAÇÃO DO TEXTO

1.  Quem são os personagens?

2.  Como agem na história?

3.  A grande descoberta de João Impaciente foi uma galinha com ovos de ouro. Na sua opinião, o que representa esses “ovos de ouro” na história?

4.  João Impaciente, com sua atitude demonstrou ser:

(   ) impaciente, calmo, ganancioso
(   ) agressivo, paciente, bondoso
(   ) impaciente, agressivo, ganancioso

VIVÊNCIA

5. Ser impaciente, muitas vezes, provoca sérias consequências. Como você agiria no lugar de João? Justifique a sua resposta.

ESTUDOS GRAMATICAIS

6.  Quantos parágrafos há no texto? ______ Numere-os no texto.

7.  No primeiro parágrafo, encontra-se o antônimo de tristeza. Qual é?

8.  Faça uma linda ilustração para a fábula que leu.

Recadoseglitters.com









































Indique este blog a um amigo.