Temblante para blog







Pesquisar este blog:

IPRIMIR

Print Friendly and PDF

sexta-feira, 9 de abril de 2010

O CONTO E SUAS CARACTERÍSTICAS


      O conto surgiu junto com a civilização humana, pois as pessoas sempre sentiram a necessidade de contar histórias, sejam verdadeiras, sejam imaginárias.

      Ao longo dos tempos, tivemos primeiramente, as narrativas orais e, depois, as narrativas escritas.

      Como narrativa oral, ela veio para o Brasil por intermédio dos portugueses e, atualmente, é bem propagada em diversas regiões do país, são as conhecidas “estórias de Trancoso”.

      Quanto à narrativa escrita, esta surgiu no Brasil durante o Romantismo, porém, os escritores românticos não desenvolveram bem esse tipo de gênero. O primeiro grande contista brasileiro, Machado de Assis, começou a escrever contos no início do Realismo.

      Podemos definir um conto como uma narrativa de ficção, que possui um universo de seres e fatos ficcionais, com fantasia ou imaginação . Dessa maneira, como todas as obras de ficção, o conto possui: narrador, personagens, ponto de vista e enredo.

      Assim, o conto é a narração de um fato inusitado, mas é possível que faça parte da realidade das pessoas, entretanto, é difícil que tal fato aconteça de forma real.

      A estrutura tipo de texto é simples, isso faz com que seja bem aceito, quer por leitores experientes, quer por iniciantes, uma vez que traz uma linguagem simples, acessível, dinâmica e direta, não se utiliza de alguns recursos mais complexos, como, expressões com pluralidade de sentidos.

      Além disso, esse gênero não é denso, extenso, que exija um esforço maior do leitor, em nível intelectual, porque é curto, possui uma estrutura curta, sem histórias secundárias, conciso, tudo gira em torno de um único conflito, já que as ações se desenvolvem em torno de um só eixo temático e somente um espaço.

      Em relação às personagens, são poucas e as que existem, ficam envolvidas em uma única ação. Dessa forma, esse texto é uma narrativa linear e curta, tanto em extensão quanto no tempo em que se passa.

      Como possui uma estrutura curta, poucas personagens, somente um espaço, um conflito e se desenvolve em torno de um único eixo temático, isso leva as ações ao encaminhamento do desfecho. Então, ele possui uma estrutura fechada, desenvolve uma história e tem apenas um clímax.

      A habilidade com as palavras é muito importante, principalmente para se utilizar de alusões ou sugestões, frequentemente presentes nesse tipo de gênero.

      A respeito de sua publicação, ele quase nunca é publicado isoladamente, assim, na maioria das vezes, ele faz parte de obras maiores.

      Deve salientar que o conto possui grande flexibilidade, o que faz com que ele se aproxime da crônica e da poesia.

Resumindo, o gênero conto vem estruturado da seguinte maneira:

→ Possui uma extensão curta, conciso;

→ Apenas uma linha dramática, pois não há tempo para dispersão da idéia principal, dessa maneira, as ações se encaminham para o desfecho;

→ Em virtude da concisão do conto, o tempo também é curto, então, existe apenas uma linha de encaminhamento temporal. Logo, o recurso do flash back é raro.

→  Quanto ao desfecho, todas as ações desenvolvidas no texto têm o intuito de encaminhar o enredo para o grande final, ora um final enigmático, ora , às vezes, sem final, ou até mesmo sem um desenvolvimento flagrante.

→  O mais comum, entretanto, é o conto com uma estrutura tradicional, isto é, com início, meio e fim. E esse final deve sempre ser uma surpresa, a resolução de um enigma, a inversão de uma situação que deveria seguir em direção oposta, ou que pareceria sem resolução.

 → O suspense deve acompanhar todo o texto, já que o objetivo é prender o leitor , então o escritor lhe fornece a cartase – a risada, o susto, a surpresa.


Poderá gostar também de:

http://gramaticaelinguagem.blogspot.com/2010/06/entendendo-o-texto-narrativo.html

      Dicas de contos:








Autores brasileiros


Machado de Assis:


A cartomante;

A igreja do Diabo;

Missa do Galo;

Conto de escola.


☻Guimarães Rosa:

A hora e a vez de Augusto Matraga;

Esses Lopes;

A terceira margem do rio;

Desenredo.


☻Clarice Lispector:

Feliz aniversário;

O búfalo;

Amor;

O primeiro beijo;

Uma galinha.


☻Lygia Fagundes Telles:

Venha ver o pôr-do-sol;

Natal na barca;

Pomba enamorada ou uma história de amor;

O menino;

Antes do baile verde.










Autores portugueses:


☻Eça de Queiróz

No moinho

☻José Saramargo

O conto da ilha desconhecida

☻Manuel da Fonseca

A testemunha

☻Vergílio Ferreira

A galinha

☻Fernando Namora

Domingo à tarde


































































Nenhum comentário:

Indique este blog a um amigo.